sábado, 25 de junho de 2016

Pataniscas de Courgette e Mozarela [Paleo -- Low Carb -- Gluten Free]



Um destes dias, não sabia que preparar para o almoço, queria algo leve, fácil e fresco ... esbarrei-me com uma receita destas pataniscas e pensei logo que seria bela ideia para acompanhar uma boa salada ... 
fiz umas alterações para as tornar mais saudáveis e correu muito bem :)
Ficam bem cremosas, fofas... muito boas mesmo.

Pataniscas de Courgette e Mozarela

Ingredientes:(para cerca de 15 pataniscas)
200 gr de courgette ralada
2 ovos
8 colheres de sopa de polvilho doce
4 colheres de sopa de farinha de aveia (sem gluten se desejarem)
1 colher de sopa de farinha de linhaça
150 ml de água
100 gr de queijo mozarela ralado
Flor de Sal Marnoto q.b.
Pimenta q.b.
Salsa q.b.

Preparação:
Bata os ovos com o polvilho, as farinhas, e a água. Junte depois a courgette e o queijo e tempere de sal, salsa e pimenta.
Leve uma frigideira anti aderente ao lume a aquecer. Vá colocando colheradas de massa, e assim que estiverem cozidas de um lado, vire-as e deixe cozinhar do outro e estão prontas a degustar!
Nota: O polvilho normalmente não cola na frigideira, mas se acontecer, podem untar levemente.
Pode usar farinha de trigo para fazer as pataniscas, nesse caso omita o polvilho e a farinha de aveia e a de linhaça.

Espero que gostem!
By Carla

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Fraisier de Chocolate Gelado



O desafio deste Mês do Sweet World é o Bolo Fraisier que se trata de um clássico bolo francês que deriva da palavra "fraise" (morango).

Originalmente é composto por duas camadas de bolo genoise e um creme mousseline e morangos.
Quando vi a sugestão da Lia, decidi que tinha de o fazer, depois vi a sugestão do Célio, na versão de chocolate, pronto, mudei logo de ideias pois apetecia-me mesmo um bolo de chocolate ... e depois como o creme não solidificou o que esperava, mas estava tão delicioso, decidi transformar este bolo numa versão gelada e que bem ficou!
Deixo a receita já com as alterações necessárias para um bom resultado sem percalços, se quiserem podem deixar no frigorífico em vez de congelar, embora ache que gelado tem muita piada ;)


Fraisier de Chocolate Gelado 


Receita adaptada da sugestão do Célio do Blog Sweet Gula
Ingredientes:
 (para uma forma de Ø25 cm)
{para a Génoise de Chocolate}
8 ovos
240 g de açúcar
 1 pitada de sal
1 c. (café) de pasta de baunilha (ou extrato ou essência)
80 g de cacau em pó
160 g de farinha c/ fermento

{para o creme Mousseline de Chocolate}
1 barra de chocolate de culinária (usei da Nestlé)
1 colher de sopa de amido de milho
10 folhas de gelatina neutra

{para a cobertura}
1 embalagem de 200gr de Dulcirecheio de Framboesa Dulcis
Cacau em pó qb
Morangos frescos q.b.
Frutos vermelhos qb

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte com manteiga e/ou forre com papel vegetal uma forma de aro amovível com Ø25 cm.
Separe as gemas das claras e bata as claras em castelo com uma pitada de sal. Reserve.
Bata as gemas com o açúcar e a baunilha durante alguns minutos até obter um creme fofo e esbranquiçado.
Adicione o cacau em pó e a farinha e envolva até que fique bem incorporada na massa.
Aos poucos vá envolvendo as claras delicadamente e mexa sem bater.
Leve ao forno cerca de 20 minutos ou até que fique cozido.
Desenforme e deixe arrefecer. Depois de frio corte em duas partes iguais no sentido horizontal.

Prepare o creme Mousseline, levando um tacho ao lume com as natas vegetais, o chocolate partido em pedaços e o amido dissolvido em um pouco de natas vegetais.
Enquanto isso demolhe as folhas de gelatina.
Vá mexendo com regularidade até ter o chocolate derretido sem ferver, retire do lume e junte as folhas de gelatina escorridas, mexendo sempre, reserve e deixe arrefecer completamente.

Montagem: Use o aro de uma forma para cortar as metades da Génoise de chocolate à medida que pretende.
Coloque uma metade do bolo dentro da forma de aro.
Corte os morangos em metades e disponha metades de morangos em toda a volta da forma, pressionando-os ligeiramente contra o aro. Espalhe um pouco de creme na base e sobre os morangos, tendo o cuidado de os cobrir bem com creme.
Distribua as restantes metades de morango e cubra-as com o creme restante, alisando com uma colher.
Coloque a outra metade de bolo na forma e pressione ligeiramente por forma a ficar direita.
Barre a superfície com o dulcirecheio de framboesa, cubra com pelicula aderente e leve ao congelador, de um dia para o outro.
Retire do congelador cerca de 1 hora antes de servir (menos tempo se estiver muito calor).
Peneire toda a superfície com cacau em pó e decore a gosto com morangos e frutos vermelhos.

Deslize uma faca à volta do aro, desenformando com cuidado.




Espero que gostem!
By Carla

sábado, 11 de junho de 2016

Broa de Milho



O calor chegou finalmente e com ele as festas, romarias e reuniões familiares são pretextos mais que perfeitos para degustar sabores tão nossos do nosso Portugal ...
nesta época é indispensável à mesa uma boa broa de milho quer para acompanhar uma entremeada, umas azeitonas,quer absorver o pingo da sardinha acabada de assar na brasa!


Delicia de qualquer das fomas!
Nunca tinha feito esta pão que sempre me habituei a ver e comer durante toda a minha vida...
A Condi desafiou-me e em boa hora a ceitei o desafio ... hoje trago-vos uma receita bem simples de uma broa com uma crosta crocante e deliciosa como eu adoro ...


Broa de Milho



Ingredientes:

Para a massa de levedura:
100 gr água
5 gr de fermento seco (usei da Condi) ou 25 g fermento de padeiro
50 g farinha de trigo
1 c. chá açucar

Para a Broa:
300 gr água quente
250 gr farinha de milho
30 gr azeite
1 c. chá sal
100 gr farinha de trigo

Preparação:

Massa de Levedura
Coloque todos os ingredientes num recipiente, mexa bem e reserve até dobrar o volume.

Broa
Coloque no num recipiente a agua quente e adicione a farinha de milho, envolva bem e deixe arrefecer.
Quando a massa estiver morna, junte a massa de levedura, o azeite, o sal, a farinha de trigo e envolva tudo muito bem e amasse durante uns minutos.
Faça uma bola com a massa e coloque-a no tabuleiro forrado com a folha de papel vegetal e polvilhada com farinha, polvilhe a bola com farinha e deixe dobrar o volume.

Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC cerca de 50 a 60 minutos.







Espero que gostem

By Carla

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Gomas de Mel

 


Fui raptada para a 37.ª Edição do “Dia Um…Na Cozinha” e pediram-me para fazer “GOMAS” como resgate.... hehe

Pus de imediato mãos à obra para repetir esta receita que é muito apreciada cá em casa, tem mel em vez de açúcar e podem adicionar que sabor preferirem, o mais apreciado cá em casa é o de ananás.

Vamos alegrar o dia das crianças com este miminho que agrada graúdos e miúdos!



Gomas de Mel

Ingredientes:
- 100 gr. de Água
- mel a gosto 
- 1 pacote de Gelatina Neutra em Pó ou 4 folhas de gelatina incolor
- 1 pacote de Gelatina de Sabor (usei sem açúcar e sabor de ananás)


Preparação:
Se optar por fazer com folhas de gelatina, corte as folhas em bocados, coloque numa tigela e cubra com água durante uns minutos. Depois esprema as folhas e leve ao lume com a água e o mel. Se optar pela gelatina em pó basta juntar à água e ao mel e mexer bem.
Quando começar a ferver e estiver tudo bem dissolvido junta-se a gelatina de sabor, mexe-se bem e deixa-se levantar novamente fervura, mexendo sempre para que a gelatina fique completamente dissolvida.


Preparação para robot de cozinha:
Colocam-se todos os ingredientes no copo do robot, excepto a gelatina de sabor.
Programa- se 3 min., temp. 100º, vel. 2.
Adiciona-se a gelatina de sabor e mistura-se 10 seg., vel. 4.
De seguida programa-se 3 min., temp. 100º, vel. 2.


Depois, devem colocar em formas de silicone previamente pulverizadas com óleo em spray, ou pinceladas com óleo.
Deixar no frigorífico durante uma noite e depois desenformar, e passar por açúcar (opcional).






Espero que gostem
By Carla

domingo, 29 de maio de 2016

Pão Brioche de kefir


Hoje deixo-vos uma receita bem simples, que resulta num pão incrivelmente fofinho, delicioso... têm mesmo de experimentar :)
descobri esta receita aqui e tem muitas outras que fiquei com vontade de experimentar

Pão Brioche de Kefir

Ingredientes:
- 300 ml de kefir de leite
- 1 ovo batido
- 50gr de açúcar (a receita pede 75gr)
- 500 gr de farinha de trigo
- 11 gr de fermento seco
- 50 gr de manteiga em pedaços (usei vaqueiro liquida)

Preparação:
Coloque os ingredientes pela ordem indicada em cima, na máquina de fazer pão.
Selecione o programa de amassar e levedar.
Findo o tempo, retire a massa na máquina, amasse para retirar o ar e molde o pão e coloque na forma. Pincele com ovo batido e deixe levedar mais 30 minutos no forno morno.
Retire e aqueça o forno a 150º.
Leve a cozer até estar doirado e cozido.




Espero que gostem!
By Carla

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Villi - alimento probiótico



O que é Viili? encontrei alguma informação por exemplo aqui.

Há um grupo no facebook Kefir e Kombucha Portugal - GRUPO DE PARTILHA onde encontram muita informação, receitas, dicas, partilhas e troca de experencias e até muitas pessoas a oferecer este e outros probióticos para partilhar.

Trata-se de um probiotico semelhante ao Kefir, no entanto com menos propriedades e a boa noticia, é que não tem acidez nem os grãos presentes no Kefir.

nesta foto podem ver o meu Villi e ao lado o meu grego de Kefir



Viili, é um iogurte mesófilo feito com leite fermentado que se originou nos países nórdicos (Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia e seus territórios). 


Ele tem uma consistência viscosa e gelatinosa um sabor agradável e suave, resultando a partir do ácido láctico.
Este produto leite fermentado é o resultado de ação microbiana de bactérias lácticas (LAB) e uma levedura como molde fungo que cresce na superfície, o Geotrichum candidum.

Viilian é semelhante ao Kefiran produzidos por grãos de kefir. 
A produção de exopolissacarídeos (EPS) pela estirpe forma a característica consistente do Viili e que tem sido afirmado ter vários benefícios funcionais para as propriedades reológicas cuja viscosidade e viscoelasticidade podem variar dependendo das condições externas aplicadas, escala de tempo e temperatura.

Bactérias lácticas identificado no viili:
Lactococcus lactis subsp. cremoris, 
Lactococcus lactis subsp. lactis biovar. diacetilactis , Leuconostoc mesenteroides subsp. cremoris . 

Entre essas cepas LAB mesófilos, o Lc. lactis subsp. cremoris produzem o heteropolissacarídeo , chamado viilian, que são semelhantes ao kefiram presente no kefir de leite. 


Quandoo Lactobacillus plantarum, Streptococcus thermophilus, Lactobacillus paracasei, Bacillus cereus e Lactobacillus delbrueckii



Como cultivar o Viili

Retira-se uma ou duas colheres do iogurte já pronto e forre o copo ou frasco com ele, verta novo leite, cubra-o com um pano ou guardanapo preso com elastico e deixe em repouso, em lugar bem fresco. lembre que o Villi provém de países nórdicos, logo gosta do frio. Deixe-o em repouso cerca de 12 horas a 3 dias, dependendo da temperatura local. No Verão pode submergir o frasco num recipiente com água para manter fresco.

O Leite a usar deve ser gordo preferencialmente e sem ser UHT. Como não é fácil ter leite diretamente do produtor (neste caso deveria ser fervido e arrefecido totalmente antes de usar), pode conseguir-se melhor sucesso com leite do dia gordo à venda nas superfícies comerciais.
Há relatos de uso de leite gordo UHT com sucesso, mas a experiência diz que ele tende a enfraquecer e deixar de fermentar com o tempo.
Há relatos que se deve ir trocando de marca do leite também.
Para já no meu estou a usar leite gordo UHT e noto maior viscosidade e espessura do que quando usei leite meio gordo.

NOTAS GERAIS que nunca é demais lembrar:
O Viili é sensível a altas temperaturas, 27º C já é quente para ele.
O Viili precisa de temperatura abaixo de 25º C.
Caso decida cultiva-lo, precisa estar ciente que ele pode fracassar por causa do calor.
Não movimente o leite enquanto aguarda a fermentação, deixe-o paradinho.
Observe atentamente a temperatura ambiente!
Se estiver alta (acima dos 25º C), utilize o sistema pot-in-pot.
O Viili é mesófilo, fermenta em temperaturas baixas, NÃO use iogurteiras para aquecer o leite.

Quando receber o seu VILLI, antes de consumir SEPARE uma parte para a próxima produção.
É importante fazer reserva da "semente" pois é fácil perder o villi devido ao calor. Pode congelar um pouco ou o método mais eficaz é fazê-lo desidratar numa compressa esterelizada.
Para isso deve embeber-se umas compressas esterelizadas com o villi e colocar sobre papel vegetal e deixar secar totalmente. Depois reserve as compressas secas no frigorifico ou numa despensa fresca dentro de um saco.
Para voltar a ativar o villi desidratado na compressa, deve colocar a compressa num frasco, cobrir com leite gordo e deixar atuar 24 horas, depois, retire a compressa, faça espalhar o villi nas paredes do frasco e coloque novo leite. Tape e reverve até notar que está mais espesso... depois pode ir aumentando gradualmente mais leite ou partilhar em vários frascos.

Proporção de semente de Villi x Leite: 
2 colheres de sopa da semente 
1 copo de leite animal frio

Posso usar outros tipos de leite para cultivar o Viili?   
(vegetal - desnatado - sem lactose etc....)

Poder, até pode.
Mas precisa ficar ciente que esse iogurte não vai gerar sementes boas, ou seja, não serve para gerar outro iogurte, a dica é: manter sempre uma semente gerada com leite animal integral e usa-lo para fermentar com o seu leite escolhido.


Como sei que o Viili está pronto?
Se virar o copo, o conteúdo não verte e a consistência deverá ser gelatinosa.


***

Mostro-vos este pequeno video a mostrar o villi cremoso ...
quando fiz o video, estava a usar leite meio gordo e ainda não tinha ido ao frigorifico, agora com o leite gordo já está mais viscoso. E quando vai ao frigorifico umas horas antes de consumir fica mais espesso também:

video

Gosto de misturar frutas e o piratinha leva para o lanchnho da manhã para a escolinha :)


Espero que tenha sido útil a informação, podem pesquisar sobre a importância dos alimentos probióticos para a nossa saúde.
Há muitos mais probióticos com e sem leite, pesquisem e escolham o que mais adequado ao que procuram.

By Carla

Kefir de Leite - Alimento probiótico


 Hoje dou-vos a conhecer um dos novos habitantes cá em casa. Trata-se de um alimento probiótico, com enumeras propriedades boas para a nossa saúde... amado por uns e odiado por outros...
a sua acidez caracteristica nem sempre é bem tolerada por todos ... eu própria confesso que me custa beber ao natural, mas com alguns truques consegue-se atenuar a acidez e tolerar perfeitamente o kefir e introduzilo tranquilamente na alimentação diária da familia tal como acontece com um iogurte comum.


11 Benefícios do Kefir de leite – Para Que Serve e Propriedades

Este Alimento lembra iogurte, mas não é assim um iogurte tão inocente.
Alguns adoram, muitos desconhecem do que se trata, porém, esse alimento diferenciado, é um leite fermentado, que podemos cultivar em nossa casa, sendo um alimento totalmente saudável e indispensável.
O meu nome é kefir e tem benefícios, incontáveis.
Se procurarem na net, por exemplo aqui, encontram imensos relatos sobre ele, de tudo  que li, deixo aqui um breve resumo para conhecerem melhor.
Há um grupo no facebook Kefir e Kombucha Portugal - GRUPO DE PARTILHA onde encontram muita informação, receitas, dicas, partilhas e troca de experencias e até muitas pessoas a oferecer este e outros probióticos para partilhar.
Há muitos outros probioticos, recentemente consegui o Villi, que também ando a explorar e em breve vos vou dar a conhecer também.
Há também Kefir de água também, mas sobre esse ainda não aprofundei o meu estudo.

O que é kefir?
Trata-se de um leite fermentado na presença de grãos ricos em bactérias ácido-lácticas, bactérias ácido-acéticas e leveduras. Esses microorganismos convivem em simbiose envoltos por uma matriz de um polissacarídeo de nome Kefiran.
Para que serve o kefir?
Podemos dizer que o kefir é um complemento alimentar de alto valor terapêutico, e também um alimento probiótico, ou seja, rico em bactérias e microorganismos que fazem bem à flora intestinal enquanto tratam doenças. Vamos entender melhor os benefícios do kefir, a seguir.
Benefícios do kefir para o organismo
A ingestão regular diária de kefir poderá trazer vários benefícios à saúde, ajudando nos processos metabólicos, combatendo problemas, entre outros. Veja, a seguir, suas principais propriedades:
1- Problemas estomacais
2- Problemas hepáticos
3- Problemas intestinais
4- Problemas articulares
5- Problemas respiratórios
6- Fortalecimento do sistema imunológico
7- Problemas emocionais
8- Problemas dermatológicos
9- Problemas circulatórios
10- Benefícios musculares
11- Ajuda a emagrecer
De que é composto o kefir?
Em cada um de seus grãos encontraremos vários tipos de microorganismos em simbiose. Estudos revelam que estão presentes no kefir:
·         8 variedades de leveduras,
·         2 tipos de bactérias acéticas,
·         16 tipos de lactobacilos,
·         Aproximadamente 9 streptococci/lactococci,
·         Ácido pantotênico,
·         Ácido fólico,
·         Vitamina B,
·         Vitamina B3,
·         Vitamina B6,
·         Vitamina B12,
·         Vitamina K,
·         Carboidratos,
·         Cálcio,
·         Gorduras,
·         Lactase,
·         Fósforo,
·         Magnésio,
·         Potássio,
·         Proteínas,
·         Aminoácidos,
·         Triptofano.
Como preparar o kefir?
Uma colher de sopa de grãos de kefir, para cada meio litro de leite morno (mais ou menos 20º), costuma ser a melhor proporção para o seu cultivo ideal. Esses grãos deverão ser colocados num vidro juntamente com o leite, deixando em descanso entre 12 até 36 horas. É preciso cobri-lo com um pano ou guardanapo preso com elástico. O melhor local para guardá-lo enquanto está em fermentação é dentro de um armário. Quando estiver pronto, deve-se agitar o vidro, e a seguir, coá-los. Após serem coados, os grãos podem ser ser lavados em água corrente sem químicos, mas não é imprescindível que sejam lavados diariamente, há quem o faça 1 vez por mês, eu lavo uma vez por semana. Gosto de lavar dia sim dia não o frasco, com ajuda de escovilhão, só com água, sem qualquer adição de sabão, podem usar água bem quente desde que deixe arrefecer o frasco antes de colocar de novo os grãos de Kefir, com a nova porção de leite para a próxima fermentação, ou podem ter um frasco de reserva para ir trocando.
O kefir pronto poderá ser armazenado no frigorifico.
O Leite em si apresenta acidez que não é bem tolerada por todos … eu para facilitar a toma, tenho feito da seguinte forma:
Mantenho o frasco tapado com um pano ou guardanapo preso com elastico, pois de o frasco estiver fechado com tampa fica mais ácido.
Podem deixar menos horas a fermentar (12horas em vez de 24h).
Eu opto por fazer grego de kefir. Para isso coo o leite kefirado à noite e volto a colocar os grãos com novo leite para fermentar até ao dia seguinte e ao leite kefirado que retirei, deixo-o a coar a noite toda e de manhã obtenho um iogurte grego de kefir bem cremoso e nada ácido!
O soro resultante pode ser descartado ou utilizado para outros fins, devido ao seu elevado valor nutricional, como por exemplo fazer gelatina, demolhar leguminosas, fazer pão, regar plantas ou dar aos animais (diluído) … entre outras receitas e utilidades que ainda estou a explorar.
O Grego de kefir é muito bom, gosto de triturar morangos e misturar para comer no meu pequeno almoço! Delicia.

Mostro-vos aqui os meus probióticos: O Villi e o Grego de kefir, ambos ao natural.


Aqui podem ver uma experiência que fiz com o Kefir de 48 horas, mais 48 horas a coar e resultou nu queijo fresco para barrar ao qual juntei alho em pó, oregãos e uma pitada de sal ...


 Para fazer o grego de kefir, podem optar por corar com gazes ou panos de algodão ou utilizar um filtro de café. O filtro acaba por ser mais prático, mas acresce um custo... pelo que com 2 compressas grandes dobradas em 4 ou panos de algodão, funciona bem e é só lavar em água bem quente e estão prontos a ser usados de novo.

aqui estou a verter o leite kefirado sobre as compressas para deixar toda a noite a coar

aqui o meu grego no filtro de café já coado

aqui o soro e o grego resultante de ter coado toda a noite

o grego de kefir bem cremoso ao natural... neste processo perde a acidez e temos um iogurte grego pronto a ser consumido

aqui um dos meus pequenos almoços preferidos, grego de kefir com morangos triturados (trituro os morangos à parte e depois misturo) Podem acrescentar mel, adoçante ou açúcar se preferirem.


pequeno almoço mais perfeito ainda com uma panqueca de alfarroba e banana com grego de kefir com mirtilos... tãoo bom!...


Dicas
·  O leite deverá estar fresco.
·  Não armazene os grãos sem o leite para que não morram.
· Caso os grãos tenham permanecido fora do leite por mais de 48 horas, deverão ser descartados.
· Quanto mais tempo fermentando, menos lactose, portanto, o ponto ideal para os intolerantes à lactose.
· Não utilize nenhum utensílio metálico. Prefira coador, vasilhas e talheres de plástico ou outro material.
· Se possível, lave os grãos de kefir com água mineral. Caso não seja viável, opte por água filtrada. O cloro presente na água poderá comprometer a qualidade do produto.

Qual a melhor temperatura para cultivar o kefir?

A temperatura ambiente é um dos fatores determinantes em relação ao tempo que devemos cultivar o kefir. Quanto mais frio, maior o tempo para a fermentação. Ele costuma dar resultados mais rápidos quando estiver numa temperatura entre os 25 e 35 graus. Nessas condições estará pronto em algumas horas. Em locais onde o inverno é muito rigoroso, o kefir poderá levar até 3 dias para atingir a fermentação desejada, no entanto, passado esse tempo, caso não se chegue ao ponto esperado, recomenda-se descartar o produto, por medida de precaução. É importante, após o descarte, peneirar todos os grãos e adicionar novo leite para se manter os benefícios do kefir.
No caso de não querer consumir diariamente o kefir, pode mante-lo na porta do frigorifico, o que atrasará a sua fermentação. No caso de ter de se ausentar e não conseguir cuidar do seu kefir, por prazos curtos ( 2 a 3 semanas) pode colocar o kefir em um litro de leite num frasco fechado no frigorifico, quando regressar deve descartar o leite e voltar a colocar novo leite.
No caso de ausência superior lave bem os grãos com água potável e sem cloro, escorra bem e guarde no congelador, onde pode ficar até 3 meses, depois é só deixar descongelar e colocar no leite para voltar a ter o seu leite kefirado… pode demorar alguns dias a voltar ao normal depois de descongelar.

Qual o melhor leite para produzir o kefir?

Pode ser usado o leite UHT nas suas diferentes apresentações: integral, semidesnatado e desnatado. Há que coloque leites vegetais, pode faze-lo, no entanto convém intercalar com o uso do leite animal, pois os grãos de kefir alimentam-se da lactose.

Qual o consumo diário de kefir sugerido?

O ideal é que o hábito de consumir kefir seja diário, para que os seus benefícios passem a ser notados. Não há restrições, porém, o bom senso deverá ser essencial.

Onde conseguir os grãos de kefir?

Os grãos poderão ser obtidos através de doações de amigos, em sites dedicados a essa cultura, em comunidades e grupos, e nas redes sociais.
Em Portugal, sugiro por exemplo o grupo de facebook Kefir e Kombucha Portugal.

Espero que tenha sido útil a informação, podem pesquisar sobre a importância dos alimentos probióticos para a nossa saúde.
Há muitos mais pronióticos com e sem leite, pesquisem e encontreo o que mais se adequa ao que procuram!

By Carla
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... >